A busca frenética pela produtividade está atingindo todos os segmentos da economia brasileira. Nas confecções em especial, pois é uma atividade manufatureira, onde os processos dependem mais de pessoas do que de máquinas. É comum, contudo, vermos empresários pensando em produtividade, como algo a ser obtido das costureiras, pois é na sala de costura que se concentra o maior contingente de trabalhadores. Sim, muito se pode obter neste setor até pelo obvio já mencionado, contudo, muita coisa precisa ser feito bem antes do processo de costura. Já mencionamos isto na edição anterior e, também decidimos fazer de conta que tudo já está solucionado. A costura, é assim por dizer, onde deságuam todos os problemas estruturais da empresa e quando se buscam soluções imediatas é a primeira a ser apontada como responsável. Vamos a ela, portanto.

A primeira ação que sugerimos como melhoria na costura é a manutenção. Máquinas precisam ser revisadas e limpas ao menos uma vez por semana se trabalharem com tecidos sintéticos e duas vezes por semana quando trabalham com tecidos de algodão. O ideal para este trabalho é um esguicho de ar comprimido, realizado por um mecânico, após o expediente da costura. (É preciso cobrir todos os trabalhos que estejam nas máquinas, pois a sujeira expelida contém óleo).Caso não haja disponibilidade de ar comprimido, pode ser realizado com utilização de pinceis para “varrer” a sujeira retida nas partes móveis e que ficam impregnadas de óleo. Manter o nível do óleo nas máquinas é outro ponto importante. Interromper o trabalho 10 minutos mais cedo, uma ou duas vezes na semana para esta ação, além de aumentar a vida útil do equipamento prevenirá as manchas de óleo nas peças, que posteriormente precisam ser limpas. Outros ganhos subjetivos por certo ocorrerão.

Para se saber como está o nível de eficiência no trabalho, precisamos ter dados de controle e metas de produção. Para se estabelecer estas metas precisamos saber quanto tempo demora cada operação, precisamos ter uma ficha com a seqüência das operações e seus respectivos tempos de processo.Isto é possível com a ação de um cronometrista que irá medir cada tempo ou de uma costureira treinada para utilizar softer específicos disponíveis no mercado, onde é possível obter o tempo de um produto, sem a necessidade de cronometragem.

A ação do encarregado, ou facilitador da produção, será de treinar os operadores no processo definido com o tempo. É comum vermos três costureiras realizando um mesmo trabalho, pregar mangas, por exemplo, sendo que cada uma realiza de um modo diferente. Apenas uma delas realiza num método melhor, precisamos identificar e multiplicar este processo.Sempre nossa opção é compararmos tempo, portanto vamos concluir que nossa empresa possui as fichas de seqüência operacional com os tempos. Qual nosso sistema de produção?

É comum vermos nas fábricas, grupos de máquinas colocados em linha, uma atrás da outra, ou de várias formas conforme possibilita o espaço, muitas vezes com acúmulo de peças em produção, peças de tecido etc. Nem sempre se tem um sistema de produção. Já se experimentou vários tipos: a linha de produção, o sistema departamental e, desde os anos 90, as células de produção. Este é o melhor modelo, para se obter produtividade e flexibilidade.

A célula de produção, como a maioria das técnicas de manufatura, foi desenvolvida na Toyota do Japão a partir do pós guerra, dentro da filosofia do Kaizem, de melhorias contínuas. Como definição de célula, podemos dizer: é o menor grupo de operadores e máquinas, capaz de montar um produto completo. Pratica-se aqui o trabalho em equipe, não mais o trabalho individual, onde uma boa costureira produz muito de uma operação, mas ao final do dia nenhuma peça está pronta. Com base no tempo de cada operação e do total da peça, inclusive embalagem, determina-se a meta de produção por hora, para o grupo de trabalho realizar todas as operações. Chamamos a isto de BALANCEAMENTO DA CÉLULA. Este balanceamento irá determinar qual operação será feito por cada costureira, em quais máquinas, para que ao final de cada hora se tenha a meta produzida. Também, com base no balanceamento, determinamos o arranjo das máquinas, de modo a facilitar a circulação das peças de mão-em-mão. Contrariando o que pensam alguns administradores que desejam evitar a conversa, colocam-se as máquinas frente a frente e próximas, como na figura abaixo.

O que se deseja aqui é a interação dos operadores além da responsabilidade. A conversa eventual faz parte, pois são pessoas, não robôs, porém, se o grupo estiver motivado só o farão se a meta estiver sendo batida hora a hora, pois quando uma operação atrasa, vira gargalo e atrasa todas as outras. Esta deve ser a maior preocupação do facilitador de produção: resolver os casos de gargalos seja de ordem mecânica, operacional ou de materiais. Uma célula não pode ter gargalos. Aí está uma de suas grandes virtudes. No sistema de produção departamental ou mesmo de linha, o que importa é máquina trabalhando; se um trabalho deu problema, entra outro e fica tudo começado, sem terminar. A célula exige que se resolva tudo na hora e que se vá até a origem do problema para que ele não mais aconteça. Outra grande virtude da célula é a flexibilidade para se trocar de produtos (modelos) na produção, tornando ideal para quem trabalha sob encomenda e possui muitos produtos na coleção, mas também uma vantagem competitiva para quem trabalha com grandes lotes ou “privatelabel”.

O que precisamos assimilar, é que o sistema celular é uma filosofia de trabalho em manufatura. Muita coisa precisa ser mudada e entendida o porque. A começar pelas máquinas. Aqui o que vamos privilegiar são as pessoas. Estas é que precisam estar trabalhando o tempo todo, não as máquinas. Conforme o balanceamento, é possível que se deixe máquinas vazias para trabalhos eventuais ou para aproveitar o tempo de um operador. Isso nos leva a outro ponto a ser mudado. Os operadores precisam ser ecléticos, ou multi funções, inclusive conhecedores de várias máquinas. Requer treinamento e dedicação do facilitador de produção. O treinamento bem planejado, pode ser executado por próprios colegas com maior habilidade e experiência, contudo, sempre com o acompanhamento do facilitador.

O trabalho em célula facilita ainda o controle da produção, pois só se conta ao final, quando se está enviando o lote para a expedição, já aprovado pelo controle de qualidade. Essa também é uma tendência, reduzir em muito os funcionários da inspeção de qualidade, que nada agregam ao produto além de custo. Os operadores percebem logo o erro de um colega e o alertam para fazer de forma correta, evitando que faça um grande lote com o mesmo defeito, para depois refazer. Durante as fazes do processo, instala-se na célula pontos de controle de qualidade de fácil avaliação, realizados por um operador após certa quantidade de peças. Assim vai se checando durante o processo, e as peças acabadas devem sempre estar em conformidade com a qualidade pois quando retornam para concerto a meta da hora fica prejudicada. Ganha-se, portanto, eliminando o retrabalho.

A implantação do sistema de células, gera uma série de ganhos do que normalmente são desperdícios de tempo e material, nas mais diversas formas e variantes, mas só é possível com o envolvimento de todos, do proprietário ao operador, nesta filosofia. Os ganhos em produtividade, proporcionado pela produção celular, são importante ganho no custo de produção, que tanto pode reverter em redução no preço de venda para aumentar a competitividade como para encorpar a margem de lucro.

Mesmo que sua empresa não possua a montagem (costura) interna, servindo-se de facções, é importante difundir a ajudá-los a implantar esta técnica, pois as facções também precisam sobreviver e, se a produtividade deles vai mal, a solução que encontram é aumentar o preço do trabalho ou deixar de trabalhar para quem não paga o que entendem ser um valor justo. Poucos tem capacidade de avaliar as possibilidades de aumentar seus ganhos com a produtividade.

Temos que levar em conta que a competição externa está em nossas portas. Os orientais, que até pouco tempo tinham custos baixos em razão do grande volume de produção, já aprenderam a fazer produtos customizados em curto espaço de tempo.[1] Por enquanto ainda estão na alta tecnologia, mas logo poderão chegar a indústria da moda, produzindo pequenas quantidades a um preço melhor…

 [1]RevistaExame, edição 962 24/02/2010, pg. 96.

42 Comments

  1. OLA EU SOU FACCONISTA DA RZ4 E PARTICIPEI DE UMA REUNIAO, COM O TADEU axei otimo pois tenho 4 costureiras e 10 maquinas e gostaria de saber o jeito melhor de trabalhar e ter uma boa producao e qualidade est grata desde ja

      1. Todo negócio depende do equilíbrio entre oferta e procura. Depende também da estrutura de sua empresa e do serviço que que pode oferecer, cumprindo prazos e qualidade contratados. Depende também da estrutura de seu cliente em poder mante-lo abastecido, pois horas ou dia de trabalho perdido por falta de serviço, é prejuízo.
        O importante, é que você saiba realizar o cálculo de custo de sua empresa e poder repassar ao preço cobrado. Isso só é possível num mercado com alta demanda. Como vê, são muitas as variantes que influenciam o lucro de uma empresa, seja facção ou fabricante. Para poder cobrar bem por seu produto ou serviço, é preciso ser diferente, oferecer algo a mais que os concorrentes e mostrar seu serviço para vários tomadores, para que você possa escolher seu melhor cliente.

  2. amigo tenho 12 maquinas 6 costureiras,5 alsiliares todos sabem fazer alguma atividade nas maquinas mais mesmo a sim ñ consigo chegar a uma boa produção…gostaria de saber se voces tem alguma dica para confecção de camisas de malhas regata gola careca ,gola polo … obrigado.

  3. OLA SOU FACCIONISTA TENHO 7 MAQUINAS E SOMOS EM 3
    PESSOAS PARA TRABALHAR COM PRODUÇÃO DE CAMISA
    GOLA CARECA , GOLA V E REGATAS.
    GOSTARIA DE SABER COMO FAZER NOSSA PRODUÇÃO MAIS RAPIDA.
    SEM MAIS OBRIGADA.

  4. Parabéns:
    Pela excelente matéria,estou com a mesma dificuldade dos companheiros acima.
    Amanhã estou mudando o leiaute da minha facção, pois tenho 12 maquinas e 8 costureiras e estou conseguindo entregar apenas 400 peças por semana(tecido plano)
    Tomara que de tudo certo…. .Vamos acreditar e mostrar que somos capazes de mudar e da a volta por cima!!!
    obrigado

    1. Bom dia Mário. Se isto te ajuda, em média, em tecido plano, cada costureira produz 12 peças por dia, portanto, o esperado de seu grupo é de 480 peças por semana. Sua produtividade está em 80% o que é uma média boa, frente ao mercado. Mas há espaço para melhorar. Coloque como meta 90%. Sucesso.

    1. Fernanda.
      Primeiro de tudo, você precisa saber quanto tempo demora cada operação do serviço que faz. Quantos minutos, ou fração dele, para realizar cada trabalho. Só assim vai poder saber qual a capacidade, quantas peças vai conseguir fabricar por dia. Depois disso, é preciso utilizar os novos sistemas de fabricação, como as células de produção. Muito treinamento de todas as costureiras. Além de produzir corretamente, para sair do vermelho é preciso receber o valor correto pelo serviço (se for facção) Para isto, também é preciso saber o tempo de fabricação do produto.

  5. Olá,
    A respeito de camisa social sob medida, gostaria de entender um pouco mais sobre capacidade de produção de uma piloteira, apenas para a parte de confecção (sem corte).
    Considerando que cada camisa terá um tecido, medidas e customizações individuais, qual seria uma estimativa razoável de produção de camisas num dia por costureira/piloteira?
    Obrigado

    1. Sr. Machado.
      Refere-se sempre a COSTUREIRA PILOTISTA. Pilotista, é a costureira que trabalha diretamente no desenvolvimento de produto, costurando a primeira peça após a criação da modelagem. Normalmente, este trabalho envolve entendimento da montagem prevista pela modelista, trocar informações com a mesma, ec., o que torna bem mais trabalhoso a costura. Estas pessoas não são medidas por produção, mas para podermos planejar a necessidade de funcionários no desenvolvimento de produto, consideramos sempre 3 peças pilotos completas por dia para cada pilotista.
      Se seu caso for montagem de produtos customizados, que se repetem trocando apenas as dimensões da peça, é uma produção e para este tipo de produto considera-se de 11 a 12 peças por dia por costureira, considerando operações de montagem, sem caseado e botão.
      Tadeu.

  6. Olá caro colega,
    Sou administrador de um fábrica de costura, porém estou com uma grande dificuldade.
    O problema está no setor de aviamentos que é responsável em realizar a junção dos materiais ou artigos (linhas, botões, zippers, pedrarias…etc), que complementam a peça de roupa de forma integral antes de ser lançada no setor de costura. Assim sendo, partes desses materiais se tornam obsoletos dentro da empresa, por não haver o acompanhamento da contabilização dos mesmos, pelo fato dos funcionários que fazem parte desse setor, terem que manter o ritmo acelerado em atender a produção conforme as necessidades.
    Devido à contabilização visualizada no sistema e muitas vezes não na parte física, ocorrendo o processo de transformação, a peça cortada chega nesse departamento, porém, não podendo ser encaminhada para a costura por falta de acessórios que complementam as peças, ou seja, as quantias que normalmente podem faltar pra completar a quantidade programada.

    Peço sua ajuda,
    Desde já obrigado…

    att…

    1. Olá Fernando.
      Imagine o caixa de um banco, com filas enormes de clientes reclamando da demora no atendimento, decida deixar de conferir o dinheiro que recebe e entrega, pegando maços que visualmente pareçam ter o valor desejado. Absurdo né. O procedimento dos auxiliares de almoxarifado é o mesmo. Precisam ser treinados para realizarem seu trabalho da forma correta, entregando o que realmente pede a requisição da OP. Administrar materiais é tarefa árdua e uma das principais responsáveis pela ineficiência da costura, que precisa interromper a produção por falta de componentes. Uma saída é negociar com fornecedores, para entregar embalagens padrão que facilitem o controle e contagem, exemplo: Se seus pacotes são de 30 peças, peça a seu fornecedor de etiquetas que façam embalagem de 30. Uma balança de precisão (existem vários modelos específicos para isto) por peso, fazem a contagem de pedras miúdas e assim várias outras opções que você pode adotar para facilitar o controle de estoque. Não pode é ficar sem controle. O resultado você já conhece.

  7. Olá!

    Meu nome é Tamires, sou Coordenadora de Produção e gostaria de saber, se minha sequencia operacional com meu custo minuto exige um MARKUP menor devido o tempo operacional como negociar isso, ou seja na empresa onde trabalho é colocado que não posso ter um Markup menor que 5, logo quando tenho sequencias que tem muita operação isso gera um conflito,na sua opniãoqual é o valor de Markup ideal, equal a maneira correta de adm isso?

    Na expectativa,
    Tamires Ronchi

    1. Alguém está confundindo as coisas.
      Mark up, é uma expressão para dizer, marcação acima, marcação de preço depois do custo de fabricação. No mark up, estão todos os custos que a empresa tem a partir do preço de venda, como: comissões de representantes, tributos, frete e custo financeiro. Também se coloca no mark up, a margem de lucro desejada, ou esperada, pela empresa. Tudo isto se aplica sobre o cuso de fabricação, razão pela qual se busca ter o menor custo possível, onde a mão-de-obra é um dos componentes. Se o produto tem muitas operações, é claro que o tempo de fabricação será mais alto e, em consequencia, o custo e o preço de venda.
      Como coordenadora de produção, você precisa estudar outras formas de montagem, com máquinas especiais e ou aparelhos, que ajudem a diminuir esse tempo. Há ainda a possibilidade de você negociar com a Estilista, pequenas modificações de acabamento, que não alterem o produto e possam reduzir o tempo de montagem. Outra possibilidade ainda, é rever o consumo dos materiais, principalmente tecidos, pois pequenas modificações no molde, podem reduzir em muito o custo. O aproveitamento do tecido principal desejado é de no mínimo 85%. Quando o custo de fabricação é alto e o mercado não percebe o valor do produto, o preço precisa ser rebaixado e quem fica comprimida é a margem de lucro, nunca o mark up.

  8. tenho 3 costureira com platica nas maquinas,fazendo calça jeans e uma costureira de acabamento ajudando um pouco na reta saindo uma produçao de 100 calças por dia ,meu gerente acha pouco,me ajude por favor,sem mais obrigado

  9. Boa tarde!
    Sou coordenadora de Produção e na fábrica onde eu trabalho, só temos o setor de corte, silk e acabamento. Estou tentando implementar o prêmio produção mas no setor de acabamento não temos uma função especifica para cada funcionária.

    São 3 funcionárias e elas são responsáveis por travetar, casear, pregar botão, arrematar e embalar.

    Att,
    Bruna Faria

    1. Sim, como dizemos em nosso artigo, facilita o transporte de uma máquina para outra e a interação emtre as costureiras, porém, a célula precisa estar bem balanceada.

  10. GOSTARIA DE UMA TABELA DE META DE PRODUÇAO P CAMISA SOCIAL MASCULINA, POLO TIPO QUANTO TEMPO O LEVA P FASER CADA OPERAÇAO E QUANTAS PEÇAS UM COSTUREIRO TEM QUE PRODUZIR POR DIA

  11. Ola Sr. Tudo Bem.
    Minha esposa possui uma facção há 2 anos em que recebe as peças para montagem, onde montas camisas cola careca, em v, manga longa. Possui 12 maquinas com 9 costureiras. Mas a produção diária é muito variada. tem dias que é produzido 500 peças e no outro 250 peças. 7 maquinas são semi novas e 4 maquinas são novas. As vezes acho que é a posição das maquinas. oque ela poderia fazer para manter a produção? abraços.

  12. Bom dia!
    Estou elaborando um plano de negocio para uma facção e gostaria de obter ajuda nos valores a ser cobrado por item a serem feitos, também estou com dificuldade no maquinário saber quais os melhores ou os quais realmente precisam.
    pode por favor me manda por e-mail estas informações?
    Grata, aguardo retorno!

  13. Boa noite. Tenho uma facção na qual meu melhor método que achei foi a produção individual ,mais divido o serviço como se fosse célula. Assim tudo que cada costureira faz marcam a produção pra si próprio, e cada uma que atinge a produção ganha seu prêmio. Meu problema é quando elas fazem mais de uma operação por hora, ex Joana tá arrematando lateral e fechou alguns ombros na mesma hora, o tempo da lateral é bem maior que o tempo de fechar ombro, então nessa hora eu me bato com relação a saber qual a porcentagem que ela está nessa hora. se puder me ajudar num meio mais fácil pois demoro muito pra fazer a soma. Agradeço desde já.

  14. Boa noite, voces teriam uma planilha em que me.mostrasse o tempo que leva pra montar uma pc basica, o tempo que leva para fazer cada operacao….
    Att, Alexandre

  15. Boa tarde,
    Estou fazendo um plano de negócios pois planejo abrir uma fação de roupa, ainda não tenho mto conhecimento da parte técnica, mas estou p começar um curso tecnico, além de formação em administração e mestrado.
    Tenho várias dúvidas, mas acho q a principal são os valores a serem cobrados.
    A minha intensão é começar algo pequeno, com pelo menos 5 funcionários.
    Quanto normalmente é cobrado pelos serviços de facção?

    Espero que possa me dar uma dica.

  16. Olá! Boa tarde!

    Meu pai é dono de uma oficina com 10 colaboradoras atualmente, e estou tentando ajudá-lo nesta questão de conseguir medir a produtividade individualmente.

    No caso dele, ele não trabalha com um tipo específico de tecido ou modelo, pois, como trabalha com moda feminina, faz praticamente todo tipo de peça, seja blusa, vestido, calça…e etc.

    Como ele não distribui o serviço neste modelo de célula que você citou, as vezes temos de 1 a 4 tipos de peças sendo produzidas simultaneamente, então neste caso, teria uma retista trabalhando com um determinado serviço, uma overloquista com outro serviço e assim por diante, e todas as colaboradoras efetuam apenas “uma parte” da peça pronta.

    Diante deste cenário, qual seria a forma correta e mais justa de se conseguir medir a produtividade de cada colaboradora, para que possam ser pagos prêmios e bônus individualmente?

    Como hoje ainda não conseguimos identificar uma forma de realizar isto, definimos uma meta para toda a equipe, assim, caso ela seja atingida, todos recebem o mesmo valor, porém, notamos que por existir esta “dependência” dos demais colegas, quando não conseguem atingir a meta, isso causa um certo desanimo, em que a maioria dos colaborados se acomodam, e dificilmente conseguem atingir estas metas.

    Qualquer ideia, ou sugestão que possa nos dar, ficaremos muito agradecidos.

    Obrigado!

  17. ola! gostaria de tirar uma dúvida, minha esposa esta começando no ramo de confecção e possui 01 galonera, 01 overloq e 01 reta ambas semi-industrial, e ainda não possui muita pratica, gostaria de saber mais ou menos qual a quantidade de camisetas normalmente uma costureira consegue montar, por exemplo uma camiseta manga curta com gola com punho em V e punho nas mangas, obrigado!

  18. Estou precisando de um profissional de tempos e metodos com capacidade para cordenar minha produção de paletós e calças. Voçes tem alguma ideia de onde eu encontro esse profissional?

    Grato,
    Eder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>